Wednesday, December 20, 2006

STRANGER


















Saido de um navio
de guerra,
boné de soldado russo.
Nas mãos, flores graúdas
psicodélicas,
caleidoscópio gritante,
embrulhadas em jornal
a ruborizar a cara do último banqueiro
algemado
de rosto pálido sangrando botox,
o mecenas mercenário.

O homem bonito
pele de sol das estepes,
coração tal qual
aquelas bonecas
russas
– cada camada
traz a gravura da mesma
amada.
Cada flor & raiz
dirá de amor bem mais
que rosas padronizadas...

O moço bonito
rasgou a XV
- uma poesia do paraíso –
aniquilou
toda a orla pobre de vida
seres perdidos
mais empacotados
que seus pacotes...
as lojas 1,99
os camelôs
as vitrines
tolos Noéis...

...e aquela colagem serena...
O homem bonito
e seu boné
de soldado russo.
BÁRBARA LIA

- a um passante que lembrou Jude Law em "Círculo de fogo"