Friday, July 31, 2015

Margens SESC Campinas - difusão da literatura feminina brasileira







Margens , realizado pelo Sesc Campinas com curadoria da jornalista e pesquisadora Jéssica Balbino é um projeto pioneiro, independente e multimídia na difusão da literatura feminina brasileira da última década. O desafio é responder, na prática, a pergunta “Quem são as mulheres da literatura?” e que mais do que livros e teoria acadêmica, as boas histórias só existem a partir da gente, e de gente, por isso é um espaço dedicado aos saraus, debates, oficinas, slams, festivais e resenhas, especialmente a que é vinculado às mulheres e sua produção.

05/08 - 19h30
A oficina deve trabalhar a figura da mulher na literatura e mais especificamente na poesia. As formas como o gênero aparecem narradas pelas próprias autoras, que assumem seus lugares sociais e de enunciação, passando a escrever, eternizar e propagar a própria história. A ação será ministrada por Marina Mara. Sala de Atividades 1


12/08 - 19h30
Mediado pela jornalista e pesquisadora em literatura feminina, Jéssica Balbino, que traz a jornalista e escritora Eliane Brum, para discutir o papel e a representação da mulher na literatura no jornalismo literário, além de fazer uma leitura de textos próprios. Área de Convivência




19/08 - 19h30
Para seguir empoderando mulheres e garantindo a voz feminina, o sarau Margens traz escritoras, slammers, jornalistas e poetas emergentes da literatura brasileira. Com microfone aberto, o sarau é também um espaço de troca, a fim de celebrar a oralidade. Área de Convivência

Participação de Elizandra Souza, Raquel Almeida, Ryane Leão, Mel Duarte, Jennyfer Nascimento, Débora Garcia e Michele Santos

26/08 - 19h30
Para seguir empoderando mulheres e garantindo a voz feminina, o sarau Margens traz escritoras, slammers, jornalistas e poetas emergentes da literatura brasileira. Com microfone aberto, o sarau é também um espaço de troca, a fim de celebrar a oralidade. Área de Convivência

Participação de Elisa Lucinda.


GRATUITO
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Monday, July 27, 2015

Josefina Neves Mello




e as tardes de verão no Oeste eram densas
sufocava o calor e a falta de palavras
doía não saber notícias

o pai sumiu depois do final de março
e os livros tiveram de ser queimados
dissolvi as cinzas na bacia Rochedo em que a mãe tomava banho
o inverno passou e nada de chegar uma notícia
um dia passou em casa um moço e disse que o pai estava no Paraguay
na divisa, perto, não do outro lado
demorou muito até o pai voltar
velho, triste e cheio de cicatrizes
e toda noite ainda tinha pesadelos
lembro sempre daquela madrugada
em que arrombaram a porta procurando o pai
revirando a casa
empurrando a mãe
e perguntando onde estavam os malditos livros
(Josefina Neves Mello, Rio de Janeiro, 19/07, 05h05)

imagem enviada pela autora: verão na Ilha de Paquetá

Wednesday, July 22, 2015

A cada ano colhemos fruto do trabalho (árduo) e a cada ano alegrias novas. O ano começou com a notícia da Menção Honrosa na primeira edição do - Prémio Literário Fundação Eça de Queiroz - em Santa Cruz do Douro, Portugal, com o livro - As Filhas de Manuela - romance que eu vinha tecendo desde 2004. Na sequência tem a Antologia do Jornal Relevo. Os livros inéditos em editoras e concursos. Outras imersões poéticas estão por vir. Só quero falar do fato consumado. Então, geralmente o ano começa mesmo no final do primeiro semestre. Este ano é um ano lindo, único. 
Todas as razões para a Poesia...

Uma entrevista sobre o livro - As Filhas de Manuela - clicar na imagem pra ler...






Isabel Furini: a escritora Bárbara Lia recebe menção honrosa em Portugal


link da notícia:

Wednesday, July 15, 2015

Respirar na Joaquim Livraria & Sebo



Respirar (Poesia)
Bárbara Lia
124 páginas
Capa: "MInaretes & Para-raios"
 (aquarela de André Lissonger)
ISBN - 978-85-906912-3-5
R$.30,00


Meu livro "Respirar" na - Joaquim Livraria & Sebo - É possível comprar via internet, pedidos via e-mail:
info@joaquimlivraria.com.br
Joaquim Livraria & Sebo 
Rua Alfredo Bufren, 51, Centro
Curitiba
041 3078-5990

Tuesday, July 14, 2015

Este "Sim" com fecho éclair








Liberdade da boca pra fora é de barro
Liberdade da boca pra dentro é jardim
Luta da Mulher enoja o mundo feito escarro
Esta gosma rosa quase ninguém olha
Cortam voos destas asas menstruadas
Com vontade de que fique na retórica
Desejo que todas se conformem - Evas
A insistência das costelas adormecidas
Na liberdade monitorada por satélite
Vida ao cubo: Mãe, provedora fêmea
Engolindo este "sim" com fecho éclair
Dentro mil nãos repartidos em gavetas
Como homens bombas - sem saída
Vão à luta para não morrer cerceada
Que riqueza há em ser só - adereço?
Se não for, saiba - vai pagar o preço
Que dor é esta que insulta o mundo?
Dor latente do leite e do sangue XX
Mulher lacrada não pode ser - Sim
Fecho éclair navalha – sobe / desce
O mundo continua a achar estranho
As flores vomitadas nas penumbras
De jardins que floresceram súbito
Em lares canônicos, uniões inócuas
Sim! O que se quer é um sim liberto
Um sim sem fecho éclair navalha
Um sim sem prazo de validade
Sem argola de detento no vestido
Avenidas hão de conhecer o perfume
Das flores soltas, leves, em liberdade
Sou mulher pago o preço da ousadia
A utopia: sonhar um jardim para dois
Um dividir, sem confrontos, rupturas
Que cada um seguisse com suas asas
Muito alto, sempre mais. Haja alturas!...
Bárbara Lia

Saturday, July 11, 2015

Uivo




Um poema é sempre um uivo na noite calada
Quebrando a gélida cortina do silêncio negro
Entrando nas veias como um rio do Alasca
Em pleno verão quando ele degela - triste -
Diluindo a crosta expondo corpos estocados

Um poema é sempre este sangue tardio
Aquele que é descoberto pós-bala alojada
Pós-vísceras rasgadas e o corpo tombado
Que o poema salva com um ato cirúrgico

Um poema é a maré do espanto revelado
Aquele soluço incontido que estoura dor
Que explode rasgando a cápsula da pele

Coração/barragem – finalmente - rompe

Bárbara Lia

Friday, July 10, 2015

Amor tamanho único




sempre volta aquele poema do Leminski
A arte do chá, do amigo "que chegou a esmo
praticamente não disse nada
e ficou por isso mesmo"
ser poeta é entrave
a gente solta palavras como pipas
espalhadas em um céu de cimento deste inverno
e não conseguimos dizer a quem amamos
que nosso silêncio é este estardalhaço de signos
e os enleamos nas nossas linhas
melhor calar tudo e dizer apenas...
- eu só quero ficar
em silêncio ao teu lado
em silêncio sempre
até que um possa
entrar no silêncio do outro
como aquela chama viva
que flana
quando estamos
frente a frente -

Thursday, July 02, 2015

Respirar- Bárbara Lia





Sempre a dúvida: Participar ou não participar dos prêmios literários nacionais de maior porte como Jabuti e este novo prêmio - Oceanos.
Imprimi alguns exemplares de Respirar, e ainda não tenho certeza se vou enviar. Só sei que tenho o livro - anteriormente esgotado - para quem desejar comprar.
Entrar em contato com barbaralia@gmail.com

Respirar 
124 p.
Poesia
Bárbara Lia
ISBN - 978-85-906912-3-5
R$.30,00

Sylvio Back - o cineasta com alma de poeta


foto - Cadi Buasatto





Meu amigo Sylvio Back enviou o link de sua página no site - Templo Cultural Delfos... com palavras sempre eletrizadas... "Querida poeta, olhaí, acaba de vir a lume, como se diz. É show! (...)"
Os recados do Back são sempre eletrizados, dá para colher nas palavras o entusiasmo backiano, que eu acho incrível e que tenho vontade de ser como ele, chegar quase aos oitenta com uma espécie de chama entusiástica... Viva!