Wednesday, September 30, 2015

Em Curitiba...

Enquanto saio em itinerância poética, em Curitiba é possível ver o vídeo que gravei  para o projeto - Pássaros ruins...


34ª Semana Literária SESC & Feira do Livro





MULTIMÍDIA

Pássaros Ruins


A vez e a voz de nossos poetas em suas aldeias. A cada episódio, a série Pássaros Ruins traz um poeta e um poema, num sobrevoo torto e inusitado por um ponto marcante de sua cidade.
A série Pássaros Ruins dá vez e voz a poetas em suas aldeias, a partir do olhar do diretor curitibano Adriano Esturilho. Com curadoria do poeta Ricardo Pozzo, em cada episódio um poeta lê ou recita seu próprio poema em algum ponto da sua cidade. Em sua primeira temporada, a série conta com 9 poetas da cena curitibana: Rodrigo Madeira, Andreia Gavita, Thadeu Wojciechowski e Adriano Smaniotto, dentre outros. A qualidade técnica dos vídeos – imagem, som e trilha – e a opção por um olhar cinematográfico que coloca a imagem a serviço do texto e da poética de cada autor são os pontos altos do projeto.  Ao longo do tempo, com novas temporadas, a série se transformará em um mapeamento da atual cena da nossa poesia, sempre mesclando autores de diferentes gerações, linguagens e referências. A websérie é um convite para que um público mais amplo, por meio das redes sociais, crie o hábito de acompanhar um pouco da nossa poesia dentro da correria do seu dia a dia. Os vídeos – sempre curtos – podem funcionar como um breve respiro no cotidiano de trabalho ou estudo de cada um.


DIAS:

28/09/201529/09/201530/09/201501/10/201502/10/2015 e03/10/2015

HORÁRIOS:

10h às 21h

LOCAL:

Área de exposição - Praça Santos Andrade

PÚBLICO:

Classificação 16 anos

Na estrada...



Hoje a mesa redonda em Umuarama, amanhã na cidade onde passei um lindo tempo da vida - Campo Mourão. Linda semana poética levando a poesia aonde o povo está. Chuva mansa, estradas vazias, as mesmas paisagens do tempo antigo. A infância e juventude neste chão vermelho, amplos espaços abertos e as lavouras. O céu da felicidade arqueando lento, como quem reconhece as minhas asas... É a vida, é bonita, é bonita... Aonde eu não estou as palavras me acham. Muita delicadeza destes meninos e meninas do SESC, dos meninos que nos apresentam, gracias Alexandre Gaioto e Ricardo Chagas... A itinerância segue... Neste quintal de Manoel de Barros, quintal maior que o mundo...

MESA REDONDA
“Aonde eu não estou as palavras me acham” (Manoel de Barros, “Livro sobre nada”, 1996)
com Bárbara Lia e Chacal

30/09 - Umuarama - 19h30
LOCAL:
Sesc Umuarama, Rua Domingoa Gonçalves de Paula, 2700

01/10 - Campo Mourão - 20h
LOCAL:
Av João Bento, 2020. Centro.

02/10 - Paranavai - 20h
LOCAL:
Auditório - Sesc

Wednesday, September 23, 2015

34ª Semana Literária SESC

Link para o site do evento:
Convite para a semana poética - Poesia na Cidade, Cidade na Poesia - 34ª Semana Literária SESC & Feira do Livro

http://www.sescpr.com.br/semanaliteraria/

Poemas para esperar a primavera...



O Novo Cronópios segue, e isto é também uma bela homenagem ao Pipol (1961-2015).
Algus poemas para esperar a primavera... Volto a figurar neste Portal que traz a Vivíssima Literatura Brasileira, em um Primavera sem o Pipol. Parece que foi ontem que ele publicou os poemas de - A flor dentro da árvore. A vida escoa tão rápidamente que é preciso viver cada dia como se fosse eternidade, cada minuto com força e não desperdiçar nada, abraçar as coisas poéticas, e seguir...
Link para os poemas...


http://www.cronopios.com.br/content.php?artigo=12148&portal=cronopios

Saturday, September 19, 2015

Poesia!...

Eu vivo o silêncio branco, metafísica e espanto. Olhos colados em Emily Dickinson, sonhando viver na casa do sol, feito Hilda... Ele está mais para Ginsberg, no palco e na estrada... Entre os expoentes da nossa geração. Ele começou menino a tecer e imprimir seus versos, a espalhar pelo mundo... Eu esperei decênios... Mas, é tudo poesia. E dentro de uma semana vamos sair em uma itinerância pra falar desta misteriosa e nem sempre compreendida forma de escrita, que existe antes da fala, antes dos alfabetos, esta alquimia incrível que move e eleva, e envolve - Poesia...



Chacal no programa - Entrelinhas.

E o único poema gravado que está por aí. Breve teremos o vídeo - Pássaros Ruins.

Poesia! Poesia!


Saturday, September 12, 2015

34ª Semana Literária SESC e Feira do Livro.




34ª Semana Literária SESC e Feira do Livro - 28 de setembro a 02 de outubro.
- Poesia na cidade, cidade na poesia -
Poetas Homenageados: Manoel de Barros e Alice Ruiz

Vou participar da mesa redonda:

- Aonde eu não estou as palavras me acham -
(Livro Sobre Nada - Manoel de Barros, 1996)
Bárbara Lia e Chacal 

A nossa mesa integra a programação das cidades de Maringá, Ivaiporã, Umuarama, Campo Mourão e Paranavaí. Vou sair em uma itinerância poética na região onde vivi por três décadas... Vai ser sublime... Antecipo a notícia para que guardem esta data e horário para um encontro, reencontro, e trocas poéticas... Vou deixar as datas da minha itinerância no final deste post, depois envio os convites com endereços da nossa mesa redonda, mas a programação já está no site.
**
Aqui em Curitiba, minha participação no evento acontece dentro da série - Pássaros Ruins.
"A série Pássaros Ruins dá vez e voz a poetas em suas aldeias, a partir do olhar do diretor curitibano Adriano Esturilho. Com curadoria do poeta Ricardo Pozzo, em cada episódio um poeta lê ou recita seu próprio poema em algum ponto da sua cidade."
Meu poema foi gravado no Passeio Público...

"Com esse espírito, a programação – tanto na capital quanto nas cidades que receberão as itinerâncias – estão recheadas de poetas: Bruna Beber, Bárbara Lia, Chacal, Claufe Rodrigues, Elisa Lucinda, Geraldo Carneiro, Nicolas Behr, e a própria Alice Ruiz garantem leveza e reflexão, beleza e impacto aos temas sugeridos – todos inspirados em versos do autor homenageado e da patrona. Mesmo os escritores convidados flertam com a poesia, seus contos e romances – como é o caso de Marcelino Freire e João Carrascoza, cujas narrativas são quase prosa poética –, e com a música – como é o de Braulio Tavares, Carlos Machado, Estrela Leminski e Marcelo Sandmann. A contemporaneidade está garantida com a presença de João Paulo Cuenca, autor brasileiro cuja obra desperta cada vez mais interesse no exterior atualmente."
**
Meu itinerário:
28/09 - Maringá - 20h
29/09 - Ivaiporã - 20h
30/09 - Umuarama - 19h30
01/10 - Campo Mourão - 20h
02/10 - Paranavai - 20h

link para a programação:

Thursday, September 10, 2015

Beira do Caminho - Julio Urrutiaga Almada




Abaixo o link do Blog do poeta Julio Urrutiaga Almada, quem puder visitar e conhecer os livros do Julio, e adquirir um. Julio está dando assistência ao filho que precisa de cuidados... Conforme ele postou no blog. Gracias...
"Só voa quem de céu é feito" 
Julio Urrutiaga Almada




Tuesday, September 08, 2015

um poema...





Tenho pena dos arbustos arredondados
Podados feito taças que nem podem
Conter a chuva
Tenho pena da amputação
Dos dedos esvoaçantes
Loucos para acariciar o vento
Tenho pena dos cortes programados
Dói a simetria
Dói submeter-se à régua plana
Com que medem
Gente, plantas, asas e esperanças
imagem - carey mulligan in - an education -

Sunday, September 06, 2015

O caramelo deserto do teu sorriso






(diante de uma fotografia de willie nelson)

O caramelo deserto do teu sorriso




Este é o rosto da vida:
         cicatriz rasgada abaixo do olho esquerdo e um lenço de pirata
Este é o rosto da vida:
         rugas que lembram um deserto com mil camelos enterrados
Estas corcovas da cor caramelo que são
         – na verdade – o sulco de tantas lágrimas
Este é o rosto da vida:
         dois planetas orbitados de luz a mostrar a explosão dentro...
Este é o rosto da vida:
         nariz adunco que esqueceu abutres e agora só cheira flor
Este é o rosto da vida:
         lábios sarcásticos que podem expor um riso ou uma agonia
Tanto faz o que foi a vida, ela começa agora com esta música
            que cai lentamente
No espaço onde cabe o mundo inteiro e por isto cabe – esta música
O rosto da vida é
                 carcaça de uma história
O rosto da vida é
                 cortina ilusória
A vida é esta música e é explosão dentro
                     e é ir remando lento na beira do abismo
Este rio que dá na queda
                 a queda que dá na morte
                                   a morte que se quer adiada
E o rosto da vida não entrega a real verdade
  o rosto da vida ri sarcasticamente e afaga mil camelos
Respira fundo e expele - em explosão de alma –
        a última esperança que dança a música
A bela música, e quando ela findar...
Os camelos estarão adormecidos

No caramelo deserto do teu sorriso

Bárbara Lia


Wednesday, September 02, 2015

21 gramas - livros artesanais






Tenho muito carinho pelas edições artesanais - 21 gramas.
Escolhi este - 21 g - por ser o peso da alma...
E criei uma página para contar sobre os livros
ainda estou organizando lá neste link

E viva toda a geração mimeógrafo, todas as cartoneras e
todos os poetas do mundo que, com criatividade, colocam
a poesia em páginas tecidas de forma artesanal...



http://ed21gramas.wix.com/barbaralia