Tuesday, March 06, 2007

CÉU FULIGEM


.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
..
...
nuvens negras
o oriente geme
Krishna, Allah e os astros
nos deserdaram
estrelas apagadas
em um céu de fuligem
entre os cães e as carnes
de crianças do Iraque
uma lágrima rasga
em cicatriz, o poeta
(na selva-relva
acordes & solidão)
*
(No palco:
ADRIANO SMANIOTTO
Poeta - Professor de Literatura)