Friday, September 23, 2016

Paraísos de Pedra / Constelação de Ossos





Para quem ainda não tem os livros acima, e desejar comprar... Os últimos exemplares que tenho, vendo por R$.20,00 + despesa do correio. É só entrar em contato com o e-mail barbaralia@gmail.com.

A verdade é que tenho dois últimos exemplares de cada. Segue com autógrafo para qualquer lugar do Brasil.

Constelação de Ossos
Lançado em 2010, pela Vidráguas de Porto Alegre. Sobre o livro um texto neste link:



Paraísos de Pedra

Livro de contos lançado em 2013 pela Editora Penalux. Sobre o livro uma matéria neste link:

Tuesday, September 13, 2016





agora eu calo
engulo a alma
embrulho o brilho
da estrela
escondo entre os dedos
- mãos para trás -
todo o sumo
da fruta que sou
agora eu nego
finjo desmaios
desvio olhar
mudo de faixa
dobro a primeira
esquina (pálida)
agora dou cicuta
aos poemas cálidos
mato-os no ventre
rasgo a jugular
do poema afoito
quero ser de novo
a menina calada
que nunca dizia nada
e seguia
- invisível -
o poema apronta
e mostra a minha cara
o poema grita
e usa a minha voz
no fundo
no fundo
o poema
é meu algoz
e então...
eu calo
engulo
escondo
e não morro
não morro
nunca mais



Bárbara Lia 

imagem do filme borboletas negras

Thursday, September 01, 2016

Forasteira - Bárbara Lia




Feliz com o "nascimento" do meu oitavo livro de poesia - Forasteira.

Feliz por ser acolhida, outra vez, pela editora Vidráguas. Gracias Carmen Silvia Presotto. 

"Forasteira" abre um projeto lindo: a coleção VentreLinhas. Uma linha de edição que vai editar poetas mulheres do Grupo Vidráguas, com apresentação de poetas homens. Carmen inspirou-se em Forasteira, ao ler a bela apresentação que o poeta Fernando Koproski fez para estes poemas.

Koproski é meu primeiro editor. Uma década de mútua admiração que permite ao meu livro ter estas palavras na introdução.

Breve coloco o link para a compra, o livro está no prelo. Viva! Estou contente com o resultado final deste novo livro. Uma metamorfose. Muitas mudanças, mais de um ano selecionando poemas, cortando poemas, o que resultou em um livro de oitenta páginas, a bela imagem na capa de Egon Schiele (a espalhar a solidão) da forasteira, que nesta manhã se amplia, forasteira em seu próprio solo, cujo poder central foi expropriado pelos canalhas. Nada que nossa força e luta não possa mudar. A poesia segue...


introdução da apresentação do meu irmão Fernando Koproski


Bárbara é minha irmã por parte de pai. Ainda que hoje ela negue veementemente isso, e diga que é filha do seu Ladercio com a dona Patrocínia, tenho certeza que ela é filha do Vinicius de Moraes com a Florbela Espanca. Daí vem nosso parentesco. Só não me perguntem como meu pai Vinicius pode ter tido em agosto de 1955 uma filha com a poeta Florbela Espanca que uns dizem morreu em 8 de dezembro de 1930... Esse tipo de coisa não se explica, pelo menos não no nosso mundo. Mas é o tipo da coisa mais natural que pode acontecer no mundo de Alice. No país das maravilhas, de onde ela veio, deve haver uma centena de explicações razoáveis para que tal encontro aconteça. 

(...)




Forasteira
Bárbara Lia 
80 páginas
Coleção VentreLinhas
Vidráguas - Porto Alegre