Sunday, July 31, 2011

Poesia / Terapia nas madrugadas




vou passar a madrugada em poesia enlaçada nas estrelas e debruçada sobre a Via Láctea...
ontem passei a madrugada acordada só para ouvir a chuva e ver o clarão na cortina a cada raio aquela música antiga e aconchegante de infância e seus odores a cada raio nas tempestades minha mãe queimava um ramo bento e clamava por santa bárbara com um temor qual de Fernando Pessoa e abraço esta natureza bruta e quero repetir nas madrugadas um banho de poesia, terapia sem trégua para voltar a ter a mesma ternura daquele menino do filme que acabou de passar no Canal Brasil... Corpos Celestes. Lindo, de poesia derramada em saudade das cidades pequenas onde vivi, do Brasil tri-campeão, do meu pai colocando seu teodolito no quintal a me erguer com suas mãos fortes para que eu pudesse olhar as crateras da lua, não era um telescópio, era o instrumento com o qual ele media terras... e este amalgama de chuva e estrelas e esta vontade de repetir o ritual e voltar a buscar a poesia em uma cena, uma frase, um céu de estrelas e um gramado, deitar de costas, deixar que os astros me soterrem...
belo filme do Marcos Jorge e Fernando Severo, uma constelação de atores curitibanos e aquela sensação gostosa e adocicada, comendo arroz doce na sala, acompanhando a trajetória do menino triste espalhando astros...


http://www.corposcelestes.com.br/