Sunday, December 09, 2012

E a flor vai para...


Rosane Morais em sua exposição "Retrospectiva" suas obras de Arte - à flor da pele - e os meus poemas - a flor dentro da árvore. Um diálogo inesperado para mim. Ela vestia um vestido/convite. Até as pedras do pequeno castelo transpiravam poesia na noite do dia 07.



- Rosane Morais -

MPB para completar a noite no Castelinho... Renato Borba teclando... Não era noite ainda e a música enchia o ar. 



Juliana Meira - Uma poeta e(m) Flor



O Castelinho do Alto da Bronze tem duas pequenas torres. Em uma delas o Túlio Henrique Pereira com seu livro - Atos de Paixão - e na outra torre eu com - A flor dentro da árvore. Nos andares inferiores a exposição da Rosane Morais, ao lado os músicos e acima de nós um céu quase noturno que ao final da noite abençoou-nos com a chuva fina - Uma festa!


_ Pausa para um Café no Parque da Redenção com Ana Cristina Gonzales e Sidnei Schneider - Sábado para ver Porto Alegre.





                              Festa para Mãe Oxum ontem, dia 08, dia dela que é Padroeira de Porto Alegre


-flores amarelas na orla-



Túlio & Sandra e o momento de mergulhar nas raízes do Rio Grande do Sul - Maravilha!



E a flor vai para...


Em primeiro lugar uma flor para Emily Dickinson. Ao pensar - flor - vejo as pétalas vermelhas das flores do dia do evento que vieram comigo para casa. Estou aqui. Estou aqui, de novo, estou aqui. Estou em Curitiba e o cinza é para lembrar que o sol e o Guaíba e os sorrisos estão estancados no plano da memória desta viagem surpreendente. Em primeiro lugar uma flor para Emily Dickinson, que foi para ela este livro, foi por ela este livro. Em segundo lugar uma flor *livro* para Sandra Santos que há quase um ano disse - Você precisa lançar este livro no Castelinho. Os adiamentos tantos para, finalmente, lançar o livro em Poa. O convite que permitiu o encanto e os encontros. Obrigada ao Túlio Pereira, companheiro de lançamento e cafés pleno de interrogações e trocas sobre nossos possíveis passos, novos escritos e os planos... Se cada escritor pudesse fazer cair na alma dos que podem permitir estes sonhos materializados. Onde estão os Mecenas? Nunca mais um Renascimento. Não entendam Mecenas como - as leis do mecenato - é neste espaço de possibilidade que estancam os "donos do pedaço" os que não estão olhando esta fatia de ternura: dois poetas confidenciando em um café, dois escritores à beira do lago, duas mulheres tentando encenar um texto maravilhoso no palco. Haja dinheiro público vazando para quem - muitas vezes não precisa ou muitas vezes coloca ele (o dinheiro) como o fator principal de sua arte, muitos que só estão nessa por terem proteções e apadrinhamentos - Sim, eu sou radical. Sim, eu estou cansada. Cansada de ver poetaços sucumbindo ao cansaço de não encontrar a mínima alameda, nenhum caminho, nenhum lugar. Cansada de ver poetas encerrados em seu próprio ar até murcharem como as flores de estufa abandonadas, todas as portas fechadas, todas as portas...
E voltando ao Porto Alegre... Obrigada às meninas poetas - Eliane Marques e Juliana Meira. Ao Cesar Pereira que evocou os velhos dias, seus passos dentro da Poesia Concreta, na sacada de um Castelo de Pedra. Um abraço ao Alexandre Brito que evoca a densidade dos meus versos. Obrigada a todos daquele dia 07, enfim. Os fragmentos de falas a valsar como aquela chuva fina. A partilha. Uma carícia essencial do Sidnei Schneider e da Ana Cristina Gonzales que foram anfitriões em um sábado lindo, um amigo de ouro o Sidnei, contemplar o Rio Guaíba, sentar em um café no Parque da Redenção e encontrar - ao acaso - Armindo Trevisan. Ganhar de presente uma aula sobre Arte, assim, em uma tarde de sol, diante de uma catedral gótica. Ah! O lançamento. Dois autores, uma artista plástica, muitos risos, a chuva que nos pega de surpresa ao final da festa. Comemorar. Comemorar. As imagens? Sim - As fotografias. Por enquanto alguns momentos que registrei. Dentro em breve mais imagens do evento.

182 anos do nascimento de Emily Dickinson nesta segunda-feira.
92 anos do nascimento de Clarice Lispector. 
Aniversário da Sandra Santos no dia do evento.
E eu me sinto presenteada. 

O lançamento foi especial, loas à Poesia, Pura alegria.
Ah! e os músicos com Renato Borba enriqueceram a noite com a mais bela MPB.
E burburinhos de chuva & champanhe.
Passos de fantasmas de outro tempo.
Poesia em pequeno castelo de pedras.
Sem Pedra no Meio do Caminho.
Quase um ano da impressão de _ A flor dentro da árvore_ 
E a quem ofereço estes versos arquitetados dentro do silêncio? Ao sublime arquiteto que neste momento está deslocando as estrelas para compor suas curvas nos astros. Uma vontade de dizer: Niemeyer, que pena que não somos eternos. Isto causa esta dor e estranheza, merecias a eternidade neste mundo... 
Mais fotos dos lançamentos - de "A flor dentro da árvore" e "Atos de Paixão" de Túlio Henrique Pereira. Imagens da Exposição Retrospectiva de Rosane Morais, assim que possível.