Tuesday, March 16, 2010

Ilha do medo


-

Começou quando vi Leonardo Di Caprio interpretando Rimbaud. Apagou a imagem adolescente-perfeito do Titanic. Começou com uma sequência de papéis que ele agarrava e interpretava apagando lentamente aquela saga adolescente e navio e enamorados flanando acima do mar verde.
O novo filme de Scorcese vem consolidar - pra mim - esta força da interpretação de Di Caprio. O filme fantástico dá de dez a zero nos oscarizados e imprime do primeiro ao último minuto o pavor dentro da gente, transporta-nos a alas de psicóticos e dentro de uma ilha com o clima de filme horror e medo. A potência de um cineasta que te insere na trama, você mergulha - à revelia - no enredo e por mais que seja denso, no final tudo evapora em  uma cena quando a paz brilha - sentimento vivo. Como se também saíssemos de um labirinto escuro pra um dia qualquer, sentados em uma escada ampla e esperando que os fantasmas do tempo nunca voltem.
O elenco é fenomenal e foi uma espécie de redenção pra quem anda meio desanimada com os filmes em geral.