Thursday, September 23, 2010

Poesia do Curitibano Márcio Davie Claudino

9

Nossos dedos
não trocaram alianças

nem fomos mais felizes
do que ainda podemos ser.

Somos apenas peixe e anzol, lua e sol,
num horizonte tardio

que se entreolham
num breve sorriso meio triste

cheio de suposições
que podem dizer muitas coisa e nada

ou qualquer clichê, como esse
de um poema que troca sua camisa desprezada;