Monday, April 06, 2015

escrever...

foto by winona evelyn




Meu pai é - com certeza - alguém que merece ter sua vida registrada. Chegou o momento de encontrar tempo para mergulhar na trilha que o levou - menino - no lombo de um burro, ao sertão paranaense. É o início, um menino que cresceu ao lado dos índios lá em São Jerônimo da Serra e que viveu com o - poético - atrelado às suas roupas. Quer fosse sua roupa de desbravador e peão, quer fosse aquela capa de chuva da cor cinza, que o tornava uma espécie de Cary Grant, um homem belo. A vida e tudo que sou tem este tom de Grandeza graças ao tom lírico com o qual ele me apontava tudo... 


No mais, vou ficar aqui, nesta sala quieta, com suas falas, memórias, poemas e a certeza de que preciso - agora - antes que meu tempo acabe, falar sobre este homem e é a vida dele que precisa ser narrada, não a minha...
Quando imprimi os contos pueris falando sobre minha vida de menina em Paraísos de Pedra, algumas primas que conviveram com meu pai ficaram tocadas com a lembrança dele, foi como um grande presente sentar-me com aquelas senhoras e ouvir sobre este - reconhecimento - elas diziam, é assim que ele era, como está no teu livro. E sugeriram que eu falasse mais sobre este homem que tinha uma paixão pela Poesia, que lia grandes filósofos e que tinha um pensamento (politico) bem diverso do meu.
Na virada do século quando comentei com Frei Betto que me sentia muito estranha ao me sentir tão à esquerda e admirar pessoas que meu pai detestava, sendo que - ao mesmo tempo - ele era meu amor maior e a grande inspiração do meu caminho... Então, ele sugeriu, por ficar também literariamente mais poético, que eu retirasse o sobrenome. Não estou atada à nenhuma raiz familiar quando escrevo. Sou apenas a menina, cujo nome ele escolheu, longe dos atávicos laços de uma família conservadora, que tende à direita e que não concordaria com quase nenhum dos meus pensamentos. Ainda assim, fomos companheiros em uma jornada incrível. A Vida. A nossa vida, quase quarenta anos de um encontro entre uma menina poeta e seu pai... Preciso escrever isto, antes que seja tarde demais...