Tuesday, April 17, 2007

PALCOS DE VIDRO




.
.
.
.
.
.
.
.

..
.
.
.
.
Isadora Duncan


Tudo será
capaz de ferir.
Será
agressivamente real.
Tão real que nos despedaça.
Orides Fontela



Para lembrar minha letra
escrevo na madrugada
redonda letra lúcida
- freio o frêmito –
Imploro ao Deus DJ
que desça deste palco
e me ensine a dançar:
“são dois pra lá
dois pra cá”
Cessar esta alucinada ópera
-minha vida-
em palcos de vidro
as sapatilhas esgarçadas
nudez morena
sob tules rasgados
em delírio
dentro da 5ª Sinfonia.



BÁRBARA LIA