Thursday, March 08, 2007

AVES DE ARREBENTAÇÃO


.
.
.
.
.
.
.
..
.
.


.
Pássaros renascentistas
Libertados por Da Vinci
Invadem as minhas pálpebras
Que meditam em silêncio
De monja e
Louvam as aves
Do terceiro milênio.
Mão destra de Leonardo
Pinta o sorriso
De uma Monalisa escura.
A aurora ausente
Do meu olhar
Que ele colore
Com luz de Florença.
E sobre músculos sofridos
Estriados de saudades
E febre de amor
Pulsa a inocência poética
Das mulheres que venceram
O jugo secular
E cruzaram as linhas
E romperam os laços
E abriram os braços
Aves de arrebentação
A flanar entre
As azaléias púrpuras
E o grito ardente
De libertação.
Bárbara Lia
- O sorriso de Leonardo (Kafka ed.)