Monday, February 11, 2008

POSSE E DESFEITURA


Toulouse Lautrec (Donna dai capelli rossi)
*
*
-------------- ( À memória de um certo umbigo-
----------------------gral que, de fundo e belo
----------------------poderia conter no vórtice
----------------------os ovos de um cuitelo )
*
*
1/2 lua
e a dança tua
deterei
neste tempo afoito

*
como tudo mais
que se move

*
*
E do fogo que ardia
em teu pelo
gardarei fagulhas:
súmulas do pasto
que me há saciado

*
*
Também
perpetuarei
tua boca
a lamber-m’a face
com fúria de lobo

e o que houve de probo
no olhar sem cautela
andrajoso, roto
entre urros e coitos
*
*
Ah, e por que não
ainda
trancafiar os retratos
das mãos obscenas
no chão
parque
relva
sem muito supor ?
( ...se eram dedos de garoa fina
em pétalas de canção de pássaro... )
*
*
Do mais, manterei o vinco
Mas atarei, de soberba, ainda
teu umbigo cálido
*
*
E então, num arco de lua
co’a pele tatuada
por tua carne crua
e havendo dançado
um súbito fado
farei dormir
meu sono pesado

( dormência de cobra
deste tempo afoito
- torcida no vidro
numa espécie de 8 )
ASSIS DE MELLO

blog do Francisco Assis de Mello:
http://coisasdochico.blogspot.com/