Thursday, June 05, 2008

a Henry Miller

“..Ontem à noite não consegui dormir. Imaginei que estava no apartamento de Natasha novamente com Henry. Quis reviver o momento em que ele penetrou em mim enquanto estávamos de pé…- Anaïs, eu a sinto, seu calor até os dedos dos pés – Nele também é como um relâmpago. Ele sempre fica assombrado com minha umidade e meu calor. Freqüentemente, porém, a passividade do papel da mulher me pesa, me sufoca. Em vez de esperar pelo prazer dele, eu gostaria de tomá-lo, de enlouquecer. Será que é isso que me empurra para o lesbianismo? Isto me aterroriza. As mulheres agem assim? Será que June vai até Henry quando o quer? Ela trepa sobre ele? Espera por ele? Ele conduz minhas mãos inexperientes. É como um incêndio numa floresta, estar com ele. Novas partes do meu corpo ficam estimuladas e acesas. Ele é incendiário. Eu o deixo numa febre insaciável…”
Anais Nïn