Tuesday, December 29, 2009

Camelot!




Sean Connery e eu

.

Sean dança comigo

Na casa suspensa

De janelas andantes

Cercada de sóis

.

Sean sorri girassóis

Liberta todos os bemóis

Da orquestra das estrelas

.

Gestos dele – Iluminura –

Rei Arthur em sua armadura

Cavalga o silêncio

Atravessa pontes de aço

.

Sean Connery depois da batalha

Esquenta seus pés gelados nos meus

E me cobre com estrelas e nuvens

Enquanto me rasga dentro a mostrar

O quanto dói - em delícia – amar!

E amar Sean Connery dói bem mais.

Bárbara Lia