Saturday, May 01, 2010

Esta é minha carta ao mundo

Emily Dickinson - (Tradução Aila de Oliveira Gomes)

 

Esta é minha carta para o mundo
Que nunca escreveu para mim
Simples novas que a Natureza
Contou com terna nobreza

Sua mensagem, eu a confio
A mãos que nunca vou ver
Por causa dela- gente minha-
Julgai-me com bem querer
 
-
 
Esta é minha carta ao mundo (Bárbara Lia)




em nome do orvalho
e da pétala

em nome das nuvens
e da chuva

em nome dos filhos
e dos pais

em nome do belo
e do feio

em nome da sutileza
e do rancor

em nome da vela
e do escuro

em nome da água viva
que corria nas veias de Clarice

em nome da alma azul aço
de Hilda Hilst

em nome dos tigres
que Borges amava

em nome das serenas tardes de Havana
que abraçavam Lezama

em nome dos estúpidos confetes
que não salvaram Sylvia Plath

em nome das sinfonias dos astros
que Pitágoras ouvia

em nome das estrelas
que Van Gogh tecia

em nome do infinito
e do finito...


...escrevo


( à revelia das confrarias
e das escolhas afetivas)