Saturday, December 24, 2011

fragmentos 2011

janeiro/2011 - Meu primeiro ebook - COREOGRAFIA DO CAOS - publicado no site Germina Literatura




março/2011 - edição do autor
Tem um pássaro cantando dentro de mim



Dia 26 de março, na Fundação Casa do Estudante Universitário do Paraná (CEU), dentro da terceira edição do Ato Poético - Arena de Idéias. Evento organizado por João Andirá... Leitura de Poesias que apresentou poetas locais - Loraine Thais, Adriano Smaniotto, Rafael Walter, Ricardo Pozzo, entre outros...



são francisco do sul - sc - abril/ 2011... eu que não gosto de fotografar ou ser fotografada consegui esta imagem linda...




2 poesias minhas na Antologia - O melhor da festa 3 - Antologia do Festipoa - organização Fernando Ramos - publicação Casa Verde Editora. Contos e Poesias de poetas e escritores convidados do Festipoa 2010/2011. Lançada em Maio/2011 dentro do evento Festipoa Literária.

wonkademia - com ivan justen santana e marilda confortin - maio/2011 - wonka bar - curitiba


QUINTA POÉTICA – 38a edição – 30 de junho de 2011 - evento organizado pelo poeta José Geraldo Neres - Casa das Rosas, ao lado dos poetas Gracco Oliveira (Diadema - SP) e Maiara Gouveia (São Paulo – SP).




Moinho - Ilustração para o primeiro texto de Literatura Infantil - escrevi para meu neto Arthur. Admiro quem desenha e quero aprender esta ARTE.


Congresso de Poesia de Bento Gonçalves - Duas Poesias participaram do Projeto Poesia na Vidraça. A cidade se cobre de poesia durante o evento que acontece todo ano em outubro e é organizado pelo poeta Ademir Antonio Bacca.



Na Feira do Livro de Porto Alegre - Minha poesia - dame el ocaso en una copa - integrou o Código Coletivo - Projeto da Poeta Sandra Santos. A exposição foi realizada anteriormente no Castelinho - Porto Alegre.



com alunos da oitava série do Colégio Estadual Barão do Rio Branco - Assaí - PR



Emocionada, lendo meus versos para a comunidade da cidade onde nasci: Assaí


Nos dias 07 e 08 de Novembro visitei minha cidade natal para participar do encerramento de dois Projetos de Literatura dentro do PDE - Programa da Sec. da Educação, as Professoras Rosana Galassi e Maria Zélia Bezerra Lopes optaram pela Poesia e com um diferencial sublime, optaram por apresentar aos alunos os poetas nascidos na cidade, para aproximar da realidade esta ARTE tão misteriosa. Recebi um email de Maria Zélia, que me descobriu depois de uma publicação do poeta Matheus Hermany, falando sobre minha poesia. Foi a porta para um diálogo que durou meses e me encheu de encanto e energia. Visitei Assaí, há quase trinta anos não visitava minha cidade natal, participei do sarau e da festa de encerramento, visitei o colégio e conversei com alunos que participaram do projeto. Meu amigo Carlos Barros diz que devo escrever um livro sobre isto. Penso que sim. Foi poético, meus primos Chico e Ana vivem em uma chácara, comi jabuticaba e caminhei ao lado do lago artificial onde eles criam peixes, visitei a horta e as plantações. Fomos a Santa Cecília do Pavão, na casa onde viveu meu tio Lupércio, uma saudade ao ver suas fotos e em tudo a exuberante memória do meu pai, aflorando. A visita à segunda esposa do meu tio herói de guerra - Leonercio Soares - que escreveu o livro - Verdades e Vergonhas da FEB. Voltei e conclui um livro que fala do meu velho pai. Agora ele é nome de rua em Assaí, o meu velho pai. Homenagem merecida para quem ajudou a medir as ruas e a dividir a cidade, o que ele fazia em seu ofício de agrimensor. Uma experiência bela. O que o Carlos não sabe é que para falar dos meus eu ficciono. Não sei narrar sem colocar o véu da Literatura. Não quero biografias e nem relatos. Quero sempre tentar banhar em poesia as cenas, a memória, o caminho.








Fechar o ano com a edição de um livro de poesias eróticas  - Até secar o sol - e  - A flor dentro da árvore - Poemas que dialogam com as palavras de Emily Dickinson. Sigo com o Projeto 21 gramas - editar minha própria poesia. Meus poemas mais recentes em um livro inédito com 50 poesias em um concurso. Deixo a maratona de ir em busca de editor para meus romances - 3 livros inéditos à espera de publicação. A poesia eu vou tecendo e imprimindo, artesanalmente ou da forma tradicional. Vinte títulos até aqui, contando com os artesanais.



***


Quero agradecer a todos que visitam o Chapar as Borboletas. 2011 foi complexo, pois agora estou condenada a viver medicada e não há volta. Sou hipertensa. Áté o ano passado eu era de aço. O aço ruiu. O fato de nunca ter adoecido dificultou tudo, ter que digerir isto, eu que abomino remédios, vou até o fim com estas pílulas, enfim. Vez ou outra alguém escreve me questionando a razão de não abrir o blog para os comentários. Peço desculpas. Espero que entendam. O blog é meu vício. Café é meu vício. Escrever é meu vício. Vou alimentando meus vícios enquanto o tempo passa. Ainda que sem a força total, terminei meu romance que tem como cenário - Paranaguá. Descobrir que a hipertensão chegou para ficar, plantou dentro de mim uma certeza de morte. Afinal, nunca sabemos mesmo o dia ou a hora. Isto trouxe esta urgência de organizar meus livros. Uma noite comentei que descartei umas 500 poesias e não devo publicá-las. Sim, esta produção infinita que começou há uns quinze anos, e de toda a poesia que escrevi imprimi apenas a metade...
Espero que 2012 traga a todos o começo do Mundo, não o final. Não aguento mais ver os meus canais favoritos - Discovery e History. Lá só se fala de Hitler, discos voadores e do fim do mundo... O mundo, para mim, está perdendo o encanto. Descartam a Poesia - mistério que nutre - para correr em busca dos mistérios que sugam tudo. Não lembro qual cientista ou pensador falou sobre o efeito do pensamento coletivo com relação a estes eventos. Talvez o mundo acabe, sim, não por ser algo definido no coração de Deus ou no alinhamento das estrelas. Talvez o mundo acabe por ser este o pensamento de todos. E eu creio na força do pensamento. Da infinidade de programas que vi, apenas este homem que não tive tempo de anotar seu nome, disse algo com coerência. O pequeno segredo - Somos nós que construímos nosso começo ou nosso fim.
Nos vemos em 2012.