Tuesday, September 08, 2015

um poema...





Tenho pena dos arbustos arredondados
Podados feito taças que nem podem
Conter a chuva
Tenho pena da amputação
Dos dedos esvoaçantes
Loucos para acariciar o vento
Tenho pena dos cortes programados
Dói a simetria
Dói submeter-se à régua plana
Com que medem
Gente, plantas, asas e esperanças
imagem - carey mulligan in - an education -