Sunday, September 06, 2015

O caramelo deserto do teu sorriso






(diante de uma fotografia de willie nelson)

O caramelo deserto do teu sorriso




Este é o rosto da vida:
         cicatriz rasgada abaixo do olho esquerdo e um lenço de pirata
Este é o rosto da vida:
         rugas que lembram um deserto com mil camelos enterrados
Estas corcovas da cor caramelo que são
         – na verdade – o sulco de tantas lágrimas
Este é o rosto da vida:
         dois planetas orbitados de luz a mostrar a explosão dentro...
Este é o rosto da vida:
         nariz adunco que esqueceu abutres e agora só cheira flor
Este é o rosto da vida:
         lábios sarcásticos que podem expor um riso ou uma agonia
Tanto faz o que foi a vida, ela começa agora com esta música
            que cai lentamente
No espaço onde cabe o mundo inteiro e por isto cabe – esta música
O rosto da vida é
                 carcaça de uma história
O rosto da vida é
                 cortina ilusória
A vida é esta música e é explosão dentro
                     e é ir remando lento na beira do abismo
Este rio que dá na queda
                 a queda que dá na morte
                                   a morte que se quer adiada
E o rosto da vida não entrega a real verdade
  o rosto da vida ri sarcasticamente e afaga mil camelos
Respira fundo e expele - em explosão de alma –
        a última esperança que dança a música
A bela música, e quando ela findar...
Os camelos estarão adormecidos

No caramelo deserto do teu sorriso

Bárbara Lia