Sunday, February 05, 2017

da desumanização...




a desumanização acontece ao ritmo do plim-plim, há décadas
orquestra subliminar com hálito de goebbels nunca cessa
os ouvidos agudos não suportaram e desconectaram satã
enlear os mais simples em estratégia miserável e cruel
o exercito maior inocente e alguns cientes tão podres quanto
quando a onda fascista a tudo engole e cai a beleza humana
quando no chão toda a poesia as rosas as notas musicais
toda a serpentina lírica dos carnavais riso puro e auras de antes
quando no chão os rios de suavidade evaporam ao sol sem nexo
fica esta espada no coração-pedra esta espada enfeitiçada
ninguém mais tem o direito de sangrar ainda mais nosso coração
nosso sangue só pela grandeza, só pelas mãos de um Arthur
só mãos de amor para retirar a espada, deixar vazar o sangue
só a beleza vale nossa dor, então vamos cessar o sofrimento
esquecer o que não vale nossa lágrima, perdoar, seguir, lutar
reconstruir - as rosas, os rios, as marchinhas delicadas, os
lábios das primaveras inenarráveis, as mãos que acenam luz
há um mundo que nos atinge por ser o rosto que já conhecemos
misto de hitler, temer e carrascos, coisas que destroem as coisas
a desumanização vem acontecendo lentamente e alguns já viram
os que viram hoje, os que sabem agora, os que veem o absurdo
de se agredir quem morre, desejar que morra, o escárnio, horrível
a desumanização é hipócrita e podre atrás de um rosto colorido
a desumanização - uma fumaça invisível e inodora a enlear tudo
a desumanização que nos atirou nesta patamar tão triste...


Bárbara Lia