Friday, July 07, 2017

Frida!







Ela e a Tela
 A Tela é ela


Pies, para que los quiero si tengo alas para volar.
(Frida Kahlo)




Em uma mulher livre
Sobrancelhas são gaivotas
E sua roupa tem a cor do vinho
De um Banquete inesquecível
Rastros do Amor de Diotima

Em uma mulher livre
Uma nuvem pequena
Tem o mesmo peso
De um mar rancoroso
Debruado escuro
Contorcendo dor
Que pode ser do corpo
Ou do espírito

Em uma mulher livre
A agonia líquida
Escorre
Percorre
E sempre morre
Nos pés do ontem

Em uma mulher livre
Ninguém penetra
Sem saber a senha
E só sabe a senha
Quem penetra o círculo
O círculo de fogo
De quem já viveu em dobro
Amou em dobro
Sangrou retalhos de nãos
E costurou o coração
Com a mão esquerda
Enquanto a mão direita
Estancava o sangue

Em uma mulher livre
O olhar sempre é triste
Talvez por trazer a certeza
De que uma mulher livre

É coisa que quase não existe

Bárbara Lia
Forasteira 
Vidráguas (2016)