Friday, June 29, 2018

Pequeno dicionário de azuis - Fernando Koproski






Uma hora a gente precisa parar de brigar com o Azul.
Há muito tempo quase coloquei este título em um romance - Azul é a cor mais triste.
É mais quente em filme francês, e dizem que o amor é azulzinho. Para mim bateu mais forte a realidade de dor, das telas doloridas de Picasso na fase azul, dos desconsolos, das esperas. E não amo mais o azul, quem sabe volte a amá-lo depois de ler esta reunião de todos os escritos do Koproski.
Pequeno dicionário de azuis (Fernando Koproski) editado pela 7 Letras, com 650 páginas. A Poesia Reunida do primeiro editor da minha vida, que traz um vento suave e canções, sim, o CD com seus poemas musicados, enfim... Agora é mergulhar no azul e recuperar um pouco a fé na cor do céu, quem sabe...
Obrigada! É uma felicidade ter esta obra completa. E todo
o azul que chega como vida nova. Dedicado à sua filha Laura, mesmo nome da minha neta. Eu que - só escrevo para por o trem nos trilhos - acabo por não escrever sobre os amores que são belos, como filhos, netos, estes são a poesia diária, e eu realmente já sei de quem emprestar um poema para Laura.
Que o tempo delas seja mais poético, que na vida adulta delas haja mais azul neste lugar e que a Poesia seja sempre o espaço da Beleza.
Laurinha
ah, Laurinha
não deixa teu olho encher
de lagriminha
enquanto puder
barrar a entrada da dor
em tua alminha
ah, Laurinha
toda a dor desse mundo
será só minha
mas Laurinha
não deixa teu olho encher
de lagriminha
minha menininha
para ver você sorrir
o pai faz a dor dormir,
o que for preciso
para o milagre vir
até o film da linha
Fernando Koproski
Pequeno dicionário de azuis
7 Letras (2018)