Monday, July 17, 2006

a colheita da beleza

A COLHEITA DA BELEZA


Cão fiel e bizarro
que esconde
estrelas no olhar.
A seguir teus passos,
bebendo esta tua distração:
Mão esquerda
no bolso do jeans;
Mão direita
segurando o cigarro.
Na memória a voz lavada
em leveza:
- Eu sou um cara mau!
Do que sei da vida, amor,
os 'bons' enterram belezas,
vestidos de branco-asco
e asas de plástico.
Os 'maus'?
Colhem a beleza em prantos.
Pés descalços na terra quente,
colhendo flores brancas
para o funeral da felicidade.

BÁRBARA LIA

- do livro inédito NOIR