Thursday, October 19, 2006

dialética

Dialética

É claro que a noite é boa
E a alegria, a única indizível emoção
É claro que te acho linda
E em ti bendigo o amor das coisas simples
É claro que te amo
E tenho tudo para ser feliz

Mas acontece que eu sou triste...

Vinícius de Moraes
Montevidéu, 1.960


- Hoje o poeta estaria completando 93 anos... Vida plena de amores, vida de boêmio, vida humana, o poeta despiu o terno e a diplomacia prá entender e identidade do seu povo, tornando Orpheu negro, indo às raízes da religião africana na Bahia, condenando a rosa de hiroxima estúpida e inválida, premiando a mpb com parcerias belas, gosto de Vinícius como gosto de Maiakóvski, gosto de poeta que canta seu tempo, e nosso tempo inenarrável se cala, ou se espalha em estilhaços que a gente ainda colhe garimpando entre asteríscos e edifícios ocos... Quem é poeta sabe que só quem vive e não teme viver (a maioria se esconde da vida) traduz, reluz, e continua, brilho eterno, como ele. Axé, Vinícius...