Wednesday, April 16, 2008

ENTRE TRILHOS E VIADUTOS






Explicação de poesia sem ninguém pedir
.
Um trem-de-ferro é uma coisa mecânica,
mas atravessa a noite, a madrugada, o dia,
atravessou minha vida,
virou só sentimento.
ADÉLIA PRADO
(Bagagem - Ed. Record)
.
.

...
Ontem passei a tarde no Museu Ferroviário. Um relógio marítimo, lanternas de sinalização, bandeiras, maquetes, a maria-fumacinha, tantos artefatos, fotos antigas, painéis. A única placa com nome de cidade é de uma cidade onde minha avó viveu (Jaguariahyva). Tem esta paixão por trens que cresce lentamente e vira amor. Tem esta conexão de trilhos e pontes e memórias. Nesta viagem que começou com uma poesia que falava de trens triturando trilhos e com a ponte belga encantada - novos planos e roteiros, enredos de amores, revoluções, vida vida - invenção e memória.