Sunday, June 22, 2008

La Furia Roja

Emilio Butragueno - copa do mundo 1986
.
Hoje quando a Espanha venceu a Itália voltei a pensar em Butragueno. O jogador espanhol que me encantou em 1986. Emilio Butragueno tinha um ar de menino frágil e um futebol potente. Lembro que via os jogos da Espanha só para ver o Butragueno, e me apaixonei pelo craque, há 22 anos. Hoje quando o goleiro Casillas agarrou aquelas duas bolas decisivas, pensei na fúria espanhola. É... futebol faz mesmo a minha cabeça. Mas, meus ídolos eu os pesco assim, pela euforia ou pela timidez. Lembro que minha mãe me apresentou o Santos Futebol Clube. Ela nasceu no interior de São Paulo e acabou me contagiando com um time que era moleza se contagiar nos anos 60. Quando eu era menina, meu time conseguiu a proeza de ser duas vezes campeão do mundo, e depois, antes da copa de 70 ainda tinha uma máquina de futebol com carlos alberto, edu e clodoaldo. Pelé? Bem, eu penso que o Pelé tem a sua história, mas, meus jogadores preferidos são outros. Clodoaldo era meu ídolo em 1.969, depois na copa de 70. Depois de um tempo infinito de ostracismo, eu me vi de novo criança, torçendo por Diego e Robinho. Já fui mesmo uma torcedora ferrenha, já não sou.
Ainda acho linda uma partida de futebol.
Quando Butragueno me encantou meu filho Thomas ainda não era nascido. Agora é ele que me contamina com a Eurocopa.
De resto, cada time do Brasil que disputa um campeonato, acaba sendo o meu time. Por isto eu torço para o Fluminense na quarta, e espero que ele ganhe a Libertadores... Na Eurocopa eu vou torcer assim como quem descobre a leveza da pluralidade, esta que me permite ficar feliz ao final de cada partida, sem estar sendo falsa ao pensar - que vença o melhor!