Monday, January 12, 2009

momento elegíaco


Amanhã - um ano da morte da poeta Bia de Luna.
Uma mínima homenagem.



Alguma poesia dela:
.

Não estou mais triste
tenho arroz
feijão
e alpiste
.
*

De tudo restou
Uma solidão amarga
E corrosiva.
Poro a Poro.

-E é quando suor e lágrimas
Se encontram numa pororoca
Larga e amiga que
A saudade bate.
Choro.

.

PALAVRAS CRUZADAS
.
Palavras urgentes
Transbordando a urgência
De um mergulho
Da lucidez o transporte.
- Palavras que açoitaram até a
exaustão do momento.
despertando as extremidades e
aquecendo as eternidades
translúcidas.
.
BIA de LUNA - In: "CLIVAGENS"