Wednesday, July 29, 2009

Para Camille, com uma flor de pedra

la vague - camille claudel

.

Meu olhar cor da aurora de Latona

torna céu tudo o que ele toca

- pedra, ônix, gesso, mármore –

.

Luto com pedras na ponta dos dedos

Ignoro vozes, burburinho, olhares

Caio no abismo azulado

que de tudo me isola.

.

Augusta coroa da solidão

reflete-se na pedra dura

em amantes que não se fitam

a prever a degradante sina – Alienada.

.

O Deus que voou levou com ele

minha força, os nenúfares dos meus cabelos

fechou-me no casulo da exclusão

murcharam as flores, o filho no ventre

.

Murchou meu quinhão de glória

meu sorriso sensual de musa

minha ciranda de alegria

– La Vague –

água que se ergue do nada

e me cobre

e me enterra

e soterra.


Bárbara Lia

..............p/ Camille Claudel