Sunday, January 24, 2010

O mundo é um cão que te devora começando pelos dedos.

.

.

A poesia é meu ópio

terapia

refúgio

.

Como era na infância

a revoada por quintais

criando reinos imaginários

.

A vida retalha as costas

com seu chicote

enquanto canto árias azuis

.

Quem não entende isto

não deve ler poemas

à meia-luz

.

Não deve tomar vinho

em um túmulo branco

enquanto pergunta à lua:

.

- Afinal, pra quê mesmo tudo isto?

.

Bárbara Lia