Wednesday, October 06, 2010

Quase-Crônica do Adeus

Quando tu te fores -
numa quase-manhã
ou num quase-dia -
sei que apagará o nome da flor,
sei que morrerá a poesia.

Sei que todos os olhos
estarão servidos à mesa
igual uma sopa fria

Marcos Antonio de Oliveira
Recife -PE
Menção Honrosa no Concurso de Poesias Helena Kolody / 2010