Wednesday, March 28, 2012

Chuva & Macaxeira

As águas de março fechando o verão.
Vida em família.
Amparo.
Minha mana me levou ao show do Chico Buarque.
Minha filha Tahiana cumpriu a velha promessa de me mostrar Fortaleza, a praia do Futuro. A cidade molhada, o céu do nordeste bordado de chuva. Peixe, pirão e promessas: Cuidar melhor de mim. Quero a vida e estes amores. O sorriso do neto, passear com a filha por uma calçada plena de mar e sol. Um poeta pode despir tudo, não levar seus livros, nem anotações, nem memória de que é poeta. Pode pensar - preciso um tempo. Pode tentar ficar a sós com os seus, e sem mais nem menos, assim, olhando o horizonte em algum lugar, sem querer e quando menos espera brota um poema -

"Ela foi encontrada!
Quem? A eternidade.
É o mar misturado
Ao sol"

Impossível separar a poesia do poeta. Rimbaud já está dentro do sangue, como ele dezenas de poetas... Versos bailando na Avenida Beira Mar...
Fortaleza... Muita chuva, macaxeira e cerveja.
Peixe, Pirão, Poesia.
Trégua.
As velas do Mucuripe...
Os barcos atirados ao mar...