Wednesday, April 25, 2012

poesia roubada


Quando encontro uma frase, um texto, um poema que amo, eu roubo para mim...
Quantas poesias a gente lê e pensa - é tudo que eu queria dizer...
Hoje eu encontrei esta bela poesia do Miguel Torga no Facebook, o meu amigo Leonardo Paiva de Pedralva postou e eu "roubei"... e lembrei a canção do Milton Nascimento, a ARTE, que seria de nós sem a ARTE?




Súplica

Agora que o silêncio é um mar sem ondas, 
E que nele posso navegar sem rumo, 
Não respondas 
Às urgentes perguntas 
Que te fiz. 
Deixa-me ser feliz 
Assim, 
Já tão longe de ti como de mim.

Perde-se a vida a desejá-la tanto. 
Só soubemos sofrer, enquanto 
O nosso amor 
Durou. 
Mas o tempo passou, 
Há calmaria... 
Não perturbes a paz que me foi dada. 
Ouvir de novo a tua voz seria 
Matar a sede com água salgada.

(Miguel Torga)