Wednesday, May 29, 2013

Em julho...








Paraísos de Pedra traz narrativas da Infância da autora na cidade de Peabiru e contos que utilizam como cenário a cidade de Curitiba: Memória e Invenção. 
“Paradiso” trafega por locais curitibanos: A Feira de Artesanato do Largo da Ordem, o chafariz _ A fonte da memória _ do escultor curitibano Ricardo Tod que evoca os tropeiros que vinham a Curitiba para comercializar seus produtos transportados por carroças e mulas. Naquela época os animais utilizavam o pequeno bebedouro _ ainda existente _ no Largo da Ordem. O bar Sal Grosso _ reduto de poetas e artistas. O Café Express e a Confeitaria das Famílias. O Mercado das Flores, a Rua XV...
“Cinema Paradiso” utiliza títulos de filmes para narrar uma infância mágica vivida em Peabiru. Alguns garotos da cidade a denominaram _ Parisbiru. Uma cidade que tem o poder de cravar dentro da alma dos que ali viveram uma indescritível nostalgia que faz com que o pensamento sempre retorne para suas ruas marrons, para sua praça pequena e para os detalhes que fazem desta cidade uma espécie de paraíso perdido.
Os contos da maturidade tem a urgência de dizer: A vida escoa. 
Os da infância perdem-se em relatos da memória, longos como os dias em Peabiru. O sol ao lado, sempre.



A imagem da capa é do reporter fotográfico curitibano _ João Debs
O livro tem 110 páginas
ISBN 978-85-66266-34-3
Selo Castiçal, da Editora Penalux - Guaratinguetá (SP)