Wednesday, May 13, 2015

18:00 no bar "O torto" depois do apocalipse - Bárbara Lia


Imagem by Fiero



Meu pai comprava uma Revista com o título X-9. No final sempre uma novela em quadrinhos em capítulos. A Revista era uma das minhas preferidas na infância. Naquele tempo não existia esta censura. Meu neto se policia. Ele só vê programas com tarja verde e aquele L de livre. A gente via tudo como ficção. Talvez aquela cidade sem perigos e a certeza da nossa infância só alegria, deixasse uma espécie de escada para o proibido. Meu pai nunca proibiu minhas leituras, que não eram nada - infantis. Era uma chuva de poemas de Camões e Alan Poe. Era o acesso a livros adultos sem que eu lesse nada em casa apropriado para crianças...  De pueril, só a cartilha da Escola. Apenas lá o mundo era cor de rosa. Na vida real eu ia colhendo a realidade como quem tem fome.
Tudo isto para dizer que vou publicar em um blog, que estava parado, um livro. Uma novela que escrevi no ano em que "esperávamos" pelo apocalipse Maia. A mistura dos meus dias vendo séries policiais na TV e documentários sobre o propalado fim do mundo, isto originou um livro que foi uma espécie de catarse naquele momento... A personagem tem o nome de uma atriz incrível e linda, mas, não vou dizer o nome dela agora... Ela inicia a história sem nome, pois ela sofreu um acidente e perdeu a memória...

Enjoy!

http://soulbarbaralia.blogspot.com.br/2015/05/a-garota-sem-nome-capitulo-i.html