Thursday, February 18, 2016

A garota dinamarquesa



'Meu Oscar" vai para o Eddie Redmayne... Ele me assombra. Ele incorporou Stephen Hawking... Agora ele arrasa como Lili.
Que espetacular sensibilidade vive neste moço que o torna uma espécie de vaso virgem que se transforma quando derramam dentro dele uma qualquer alma. 
O filme mostra os eventos da vida do pintor noruguês Einar Magnus Andreas Wegener, primeira pessoa que submeteu-se a uma cirurgia para
mudança de sexo, para - enfim - tornar-se Lili, aquela que gostaria de serdesde o início. Esta troca de amor palpável na tela é possível pela interação impecável dele com Alicia Vikander. 
Precisamos falar de Gerda...
Em um tempo em que tudo está tão na fala e longe da ação, ela amou. Ela AMOU. Ponto final. E penso no final daquele meu conto Mulher na Árvore. E a frase final fica batendo como sino. A certeza da beleza. Os esvoaçantes lenços claros sobre as charnecas, a coragem de transubstanciar o querer, por puro Amor... E a frase bate, como os pingos da tempestade no pátio lá fora:
- permaneço no amor.

As telas são de Gerda, que tocou meu coração de poeta com tanta beleza. Amei! Amei!