Friday, November 10, 2006

CL





Invertendo as letras – CL ou LC – Clarice Lispector ou Lucio Cardoso. O coração selvagem de Clarice, também de Lúcio, ambos escolheram o título do livro dela – Perto do coração selvagem – Ele um coração selvagem leonino que não respondia cartas e manteve suspenso o amor inconcluso. Ela enigmática e triste de uma beleza rara e vida isolada escrevendo o que deixa ainda em transe o coração e a alma... As correspondências de Clarice Lispector, que li algum tempo atrás, o amor entre as dobras das pautas, como uma partitura de uma sinfonia impossível.


Do coração selvagem de Clarice - para o coração selvagem de Lucio Cardoso:

"Me entristeceu um pouco você não gostar do título "O Lustre". Exatamente pelo que você não gostou, pela pobreza dele, é que eu gosto. Nunca consegui mesmo convencer você de que eu sou pobre... Infelizmente, quanto mais pobre, com mais enfeites me enfeito. No dia em que eu conseguir uma forma tão pobre como eu o sou por dentro, em vez de carta, você receberá uma caixinha cheia de pó de Clarice."

“Lúcio, me escreva e conte coisas. Ou então não escreva, que posso eu fazer? Um dia desses fui ver a lava do Vesúvio. Tenho um pedaço feio de lava para você. Depois de um ano ainda estava quente; é uma extensão enorme, negra, de vinte a trinta metros de altura; a gente anda sobre casas, igrejas, farmácias soterradas. A erupção foi em março de 1944 e quando chove sai fumaça ainda.”

“quanto ao teu fantasma, procuro-o intimamente pela cidade”

“Belém, 6 de fevereiro de 1944...
...Tenho lido o que me cai nas mãos. Caiu-me plenamente nas mãos “Madame Bovary”, que reli. Aproveitei a cena da morte para chorar todas as dores que tive e as que não tive. – Eu nunca tive propriamente o que se chama “ambiente”, mas sempre tive alguns amigos. Aqui só tem “mutuca”, (isso é besouro, mas por que não chamar tudo mutuca logo de uma vez?).”