Monday, January 15, 2007

TRAPO


.
.
.
.
.















Na pedra da praia mansa,
gotas de espumas em minhas coxas.
Narf tropical,
bebo as notas musicais marinhas,
levo o olhar entre as partituras
- um peixe azul!
Balé sublime entre ondas verdes.
Tiro os óculos da sacola e descubro
- é só um trapo triste.
Felizes os loucos!
Felizes os loucos
que não colocam
óculos de granito,
que não vêem a realidade explícita.
Tão lindo o peixe azul entre ondas.
Pena colocar os óculos
e enxergar o trapo azul
tão triste...
BÁRBARA LIA
.
O site - Sonetos Curitibanos - publicou meu soneto "Primavera para Beethoven"
(link ao lado)
O site é organizado pelo poeta Rodolfo Brandão.