Tuesday, April 17, 2007

FREI TITO DE ALENCAR LIMA













Tito de Alencar Lima (14/9/1945 - 10/8/1974)




Quando secar o rio da minha infância
secará toda dor.

Quando os regatos límpidos de meu ser secarem
minh'alma perderá sua força.
Buscarei, então, pastagens distantes
- lá onde o ódio não tem teto para repousar.
Ali erguerei uma tenda junto aos bosques.
Todas as tardes me deitarei na relva
e nos dias silenciosos, farei minha oração.
Meu eterno canto de amor:
expressão pura da minha mais profunda angústia.

Nos dias primaverís, colherei flores
para meu jardim da saudade.
Assim, externarei a lembrança de um passado sombrio.


Paris, 12 de outubro de 1.972
- Frei Tito

(pg. 257 - Batismo de Sangue - Frei Betto -
dossiê - VI. Tito, a paixão)