Friday, January 25, 2008

A UM PASSO DO PÁSSARO... II




III
Chove torto no vão das árvores.
Chove nos pássaros e nas pedras.
O rio ficou de pé e me olha pelos vidros.
Alcanço com as mãos o cheiro dos telhados.
Crianças fugindo das águas
Se esconderam na casa.

Baratas passeiam nas formas de bolo...

A casa tem um dono em letras.

Agora ele está pensando -

no silêncio Iíquido
com que as águas escurecem as pedras...

Um tordo avisou que é março.

MANOEL DE BARROS
Retrato Quase Apagado em que se Pode Ver Perfeitamente Nada
- fragmento -
de "O Guardador de Águas"