Sunday, July 13, 2008

O deserto de sinais

.
estamos voltando para grifolux.
miriápolis não dava mais.
juntamos nossas coisas
.....e atravessaremos o deserto de sinais.
é verdade, aprendemos muitas canções
.....em miriápolis
mas quase esquecemos como lateja
.....o vivificante sol de grifolux.
deixamos convivendo no cercadinho:
.....brutos e mansos de coração,
.....vales e montanhas,
.....relicários e estantes de tábuas e tijolos,
.....claridade e escuridão.
como quando dentro da noite do espírito
.....pingasse uma gota de bem-aventurança.
viver esta sede
.....era o que nos possibilitava ao meio-dia
.....ouvirmos noturnos de chopin,
com alguns amigos escrever
.....o guia do amor descomplicado,
permitir à vida que nos comovesse
.....enquanto assava-se pão para toda a semana.
agora chovesse sobre miriápolis,
.....tamborilando em vasos e latas no quintal
enquanto nos distanciávamos indo para grifolux
.....onde sobretudo sabíamos florescer
o jardim de si.
ROLLO DE RESENDE
(1965-1995)
do livro,
Poemas Fora da Ordem
Concurso Nacional de Poesia
Prêmio Caetano Veloso (1993)