Sunday, July 25, 2010

Aforismos e Arremedos - Lincoln D'Ávila


tia coruja




Meu sobrinho Lincoln D'Ávila poeta, músico e professor de História vai lançar o seu primeiro livro de poesias e letras de músicas - Aforismos e Arremedos - entro nesta publicação com o carinho orgulhoso de tia coruja. Parece que foi ontem que ele fez um aninho nesta foto em meu colo e eu, menina ainda. O tempo voa e ele cresceu em arte e sabedoria. Agora vou entrar neste livro em uma parceria que me deixa muito feliz, pelo convite e pelo carinho. O semestre promete parcerias, vou relatando aqui os novos passos da poeta. Este momento é de celebração. Lincoln vive em Campo Mourão, todo ano organiza um evento em outubro - Homenagem a John Lennon. Compõem belas canções e escreve poesias. Por isto, vamos comemorar a poesia e a música muito em breve.
Dois poemas que vão entrar no livro - Aforismos & Arremedos:

Tributo a Nietszche



A Grande Árvore atravessa altaneira as estações
Da beleza verdejante à secura do inverno
Os frutos podres lamentam a dor da queda
Os brotos rebentos não sabem que são felizes
As flores que anseiam pela criação tornarão ao chão


A Grande Árvore só conserva o necessário
Os membros mortos são levados pelos ventos
As verdes folhas são abandonadas quando importunam
A beleza efêmera da florada não ultrapassa a reprodução



Ah, agora a Grande Árvore preza pelo raio
Seus ramos adoecidos gangrenaram
Os macacos insanos vieram e abusaram de seus ciclos
A sacudiram até derrubarem suas crias
Arrancaram suas peles para adornarem o ventre
Perfuraram suas artérias para tomar a seiva
Mutilaram suas raízes para o progresso da ciência


Porém, o raio derradeiro ama a grandeza da Árvore
E junta suas forças para o beijo renovador
Oxalá Deus nos perdoe, pela ignorância e abuso
Que demos à nossa mãe Terra
Porque ela há de continuar
Com ou sem nossa presença
Lincoln D'ávila
 
 
"O pedigree do mel não diz nada a uma abelha"
                                                    Emily Dickinson


O rancor dos homens
Contaminou as flores
As abelhas
Morreram de cólera
Adocicada



Último zumbido
Acordou o Sol
Em cadência afinada
Qual canção do Vangelis
Bárbara Lia