Sunday, July 25, 2010

me roubaram uns dias contados









"Um céu despe-se em nódoas e gotas de sol. Vai escurecendo. São dezessete horas e quatro minutos. Com quantos dias de neve se faz um inverno? Com quantas pétalas de rosa se faz uma primavera? Com quantas folhas caídas e farfalhando ao vento se faz um outono? Com quantas gotas de sol se faz um verão? Estão lançando a coleção primavera-verão. Vou ao coquetel de tênis branco e roupa de palhaço. Vou fazer macaquices para os ricos. Eu frequento festas para comer e beber um bom vinho. Vou a todos os lançamentos de livros. Conheço todos os escritores. Tomara que este livro não me dê um prêmio bom. Mozart teve dívidas. Balzac teve dívidas. O que me para é o SPC."

"O poema é o espaço da rebeldia da linguagem e a prosa é a linguagem da rebeldia."


"Ontem Johnny Depp comprou uma ilha. Perguntaram a ele por que comprou uma ilha. Respondeu que comprou para nada. Somos uma ilha. Todos nós somos uma ilha. Cercada de gente e cada vez mais gente. Por que tanta gente coloca mais gente no mundo? A economia global está pronta para o crescimento. Eu queria acabar o livro aqui, pois ele já disse tudo que eu queria dizer. Mas Rodrigo quer seiscentas páginas. No fundo, é um ambicioso. Um cara que quer fama, poder e você. Ele só quer você. No fundo escrevo porisso. Uma interrogação. Uma pergunta. Um mistério. Um enigma. Um oráculo. Não sou o seu oráculo. Também, você não me pergunta nada. O meu silêncio à vezes cala, e eu não consinto quando calo."

(me roubaram uns dias contados - Rodrigo de Souza Leão - ed. Record)



Um livro que leio com reverência, sabor de adeus antecipado, despedida à revelia. Lembro trocas poéticas esparsas e a interrupção abrupta. Neste vácuo da tua ausência eu fico aqui, com este livro e com as lembranças, puxando a linha do tempo pra recuperar os dias contados, nossos dias roubados, nossos dias...