Thursday, March 22, 2012

Chá com as borboletas - Série Diálogos Poéticos (X)


from The Window

you are my bread
and the hairline noise
of my bones
you are almost
the sea
Diane di Prima
 

 
(...)
 
Hedged about with primroses
with promises
The magic words we said when we were praying
Have formed a mist about us...
Diane di Prima
Ode to Keats, 2, The Dream (Versos finais)

***

“I think the poet is the last person who is still speaking the truth when no one else dares to. I think the poet is the first person to begin the shaping and visioning of the new forms and the new consciousness when no one else has begun to sense it; I think these are two of the most essential human functions” - Diane di Prima

 
***

Diane di Prima nasceu em 1934 no bairro do Brooklyn, em Nova Iorque. Seu primeiro livro chama-se This Kind of Bird Flies Backward, publicado originalmente em 1958. Tornando-se um elo entre os poetas da Costa Leste e Oeste norte-americanas, Diane di Prima conhece e envolve-se no fim dos anos 50 e início dos 60 com os Beats de Nova Iorque e San Francisco, vivendo por alguns anos entre as duas cidades. A poeta fundou o Teatro dos Poetas de Nova Iorque (New York Poets Theatre), e ainda a Editora dos Poetas (Poets Press), que publicou alguns de seus companheiros. Com LeRoi Jones (mais tarde conhecido como Amiri Baraka), editou a revista The Floating Bear (1961 – 1969). Diane di Prima passou a estudar o budismo após conhecer Suzuki Roshi, e se ligaria ainda à comunidade de Timothy Leary em Millbrook.
A poeta nova-iorquina publicou alguns de seus livros mais importantes na década de 70, como Revolutionary Letters (1971) e Loba (1978). As "Cartas revolucionárias" estão ligadas a seu ativismo político com o grupo conhecido como "The Diggers", fundado por Emmett Grogan (1943–1978) – a quem Bob Dylan dedicou seu álbum Street-Legal (1978).
fonte: modo de usar & co.
http://revistamododeusar.blogspot.com.br/2008/02/diane-di-prima.html



***


O que a onda diz ao cão sentado babando moluscos e saudades?
Como rasgar a onda sem cicatrizar em azul?
Beber a ardência seminal de amantes afogados
Como quem engole segredos guardados entre debruns de ondas
Em seu giz rendado.
Bárbara Lia
- Tem um pássaro cantando dentro de mim/2011


***


Os grandes poetas do mundo são em número bem menor que as estrelas. Talvez por isto o Céu extasie e a Terra gema entre ogivas e axés.
Bárbara Lia

***


"Escanear os céus com um ar suspeito”


Não olhes o sol
A olho nu
Isto se chama
Violentar Deus
Irado, Ele abrirá
Escaras em tua retina
Abrirá o portal
Do abismo
Para cegar teu olhar
Que ousa afrontar
A Luz!


Bárbara Lia
A flor dentro da árvore / 2011                                                                                               Salvador Dali