Monday, December 18, 2006

DEZ ANOTAÇÕES PARA NÃO MORRER DE AMOR.





















. Procuro um sábio antigo, tradutor de silêncios.
.
Te ouço como alguém que coloca um estetoscópio em nuvens.. Você é o pintor silencioso, ama com aquele olhar do pintor holandês Vermeer.. Você é uma tempestade silenciosa, que me molha noite e dia, dia e noite.. Ando perguntando ao pó... das estrelas, qual caminho seguir para não te ferir.. Curar minha síndrome de Raskólnikov de saias: perdoar meus grandes crimes e dizer que os castigos foram merecidos.
.
Só você mesmo para virar o disco, e lembrar meu nome com outra canção.... As mulheres sempre sabem pra qual corpo se perfumam.. E foram “felizes” para sempre - a gente raramente encontra na Literatura, só na vida real e na pasteurizada rotina.. Aprendi a te olhar com olhos de brisa.
BÁRBARA LIA
NOIR (ed. autor - 52 p.)