Monday, December 24, 2012

um poeta fictício



O personagem se chama Julio (Josep Maria Domènech) pai do personagem Juan Antonio (Javier Bardem) no filme Vicky Cristina Barcelona. Na cena onde Vicky (Rebecca Hall) e Juan Antonio chegam a sua casa, ele os recebe com entusiasmo, perguntando sempre por Maria Helena (Penélope Cruz) a ex do moço que o pai admira. O que vem a seguir é para deixar qualquer poeta pensando. Juan Antonio conta para sua acompanhante que o pai é Poeta e jamais publicou seus escritos. O pai considera que o mundo não merece a Beleza da Poesia. Penso neste poeta fictício... Ainda que ele tenha se livrado das agruras do meio literário, valeu a pena reter a Beleza? Se é que eram belos seus versos. E quanto à sua filosofia estranha? Afinal, o mundo merece ou não merece ter acesso aos versos dos poetas? E um vento provocativo rapta de um dia distante um verso que li, no tempo da felicidade, quando eu ainda não estava perdida nesta caótica arapuca que se chama - mundo literário - dois versos de Jorge de Lima, do poema n° 4 daquele livro - Anunciação e Encontro de Mira-Celi:

Os grandes poemas ainda permanecem inéditos,
e as grandes palavras dormem nas línguas secas.

2012 foi o ano polêmico. Polêmico no Jabuti, e agora com esta premiação a um livro de Drummond no Prêmio da Fundação Biblioteca Nacional. Não dá para entender mais nada. Como sou quase bruxa, sabia que não devia me angustiar, gastar com inscrição para o Jabuti, tentar o Portugal Telecom ou este Prêmio da FBN que por pouco não enviei - A flor dentro da árvore. Enquanto não mudar esta postura das editoras de grande e médio porte e não passarem a publicar Poesia Contemporânea e enquanto não existir uma divulgação maior. Enquanto a Poesia seguir como este pequeno animal desconhecido, não adianta. Se pintar um Drummond na área, adeus para todos nós. Posso estar errada, mas, a maioria dos jurados gosta do que é palatável - principalmente no Jabuti. No fim de tudo o que o velho pai do moço bonito do filme fez foi precipitar o inevitável. Algum dia ele quedaria ao cansaço da falta de senso. E nem todas as mudanças e a tecnologia alteram esta verdade que evoca a 3º Lei de Newton: Toda força que um corpo recebe é conseqüência da força que ele aplicou. Se tua Poesia tem força, fique preparado para receber golpes inesperados de todo lado. Sem contar a falta de carinho e cuidado com que grande parte do mundo literário e as grandes editoras tratam os poetas deste tempo...