Sunday, August 23, 2015

Trilha sonora para os sessenta anos que completo amanhã. Trilha sonora pra lembrar duas pessoas que eu amo e não poderei abraçar de forma material. Pra vocês dois: pai e mãe, só pra dizer que sigo - tocando em frente. Grata pela vida. Ainda que me protegessem como se eu fosse flor de estufa, no fundo, no fundo eu sei que vocês sabiam que eu era como todos os poetas, tal e qual Cruz e Sousa escreveu 
"Tu és o louco da imortal loucura;
O louco da loucura mais suprema."
A gente sempre sabe... Agora, vou começar a abraçar os que estão na minha vida como a - possibillidade de esticar um tempo mais esta jornada alucinante - e ao abraçar um a um, amigos de ontem, amigos de agora, amigos de toda hora, filhos, neto - não posso esquecer meus amigos de data de nascimento, pois poetas e escritores, ainda que nunca tenham se encontrado pela vida, são amigos em um patamar de beleza. São irmãos atados pelo sangue da palavra. São os que se apoiam em recados pendurados pela vida... É isto. Este estranhamento de não ter mais como dizer parabéns ao Donizete Galvão... Ainda assim: Feliz aniversário! Onde quer que estejas, a vocês, a todos nós... E a poesia segue...
Agora eu vou começar a abraçar os que amo...


Felizes os felizes.

Jorge Luis Borges



isso de querer
ser exatamente aquilo
que a gente é
ainda vai 
nos levar além

Paulo Leminski


"Fique atento
às raízes
que se trançam
em seu coração.
Fique atento.
A atenção
é sua forma natural 
de oração"

Donizete Galvão